Publicado por Rafael Resende
Gostou do artigo? Compartilhe!

A ansiedade na teoria dos Cinco Elementos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O termo “ansiedade” não tem equivalente exato na Medicina Tradicional Chinesa, embora ela atribua um papel importante ao medo entre todas as emoções. De fato, ansiedade e medo são ambos uma reação a situações perigosas, reais ou potenciais. Mas existem diferenças: na ansiedade, não existe um estímulo externo que desencadeia a reação, ao contrário do medo (por isso falamos em medo de algo); é como se a ansiedade viesse de dentro, e o medo, de fora.

Outros autores descrevem o medo como algo relacionado a uma estratégia de enfrentamento, como fuga ou evitação. Quando essas estratégias falham (por exemplo, quando uma situação não está sob nosso controle), surgiria a ansiedade. Ela seria então uma espécie de “medo não resolvido”.

Embora a Medicina Tradicional Chinesa não use o termo “ansiedade”, algumas das doenças que ela descreve se assemelham a esse estado afetivo. Além disso, ela diferencia os sintomas e as características de diferentes tipos de ansiedade de acordo com os Cinco Elementos (falo um pouco sobre esse conceito aqui). Cada um deles está associado a um Órgão Interno (escrito com inicial maiúscula para diferenciar o órgão anatômico do conceito mais amplo da Medicina Tradicional Chinesa, que fala em sistemas funcionais) e a uma emoção básica. Assim, temos a seguinte correspondência:

  • Madeira – Fígado – raiva
  • Fogo – Coração – alegria
  • Terra – Baço-Pâncreas – preocupação
  • Metal – Pulmões – tristeza
  • Água – Rins – medo

A seguir, falo das características da ansiedade para cada um dos Cinco Elementos.

 

Coração

O principal sintoma nesse caso são as palpitações, ou a sensação de que o coração está batendo de forma desconfortável – não necessariamente taquicardia (coração acelerado). A ansiedade se manifestará no tórax, tanto como aperto ou como a impressão de que o coração está “solto”, a depender do padrão de desarmonia envolvido.

A pessoa que sofre com ansiedade associada ao Coração parece confusa, inquieta, nervosa. Ela tem dificuldade para relaxar, ficando insone, e tende a fazer movimentos rápidos. Especificamente, a Deficiência de Sangue no Coração (um dos padrões de desarmonia descritos pela Medicina Tradicional Chinesa) é mais comum em mulheres que, além da ansiedade, têm tendência à tristeza e ao choro.

 

Pulmões

Os Pulmões são afetados pela tristeza e pelo pesar, especialmente quando relacionados ao luto. O indivíduo se mostrará triste, choroso, suspiroso, pálido e com voz fraca. A tristeza e o pesar consomem o Qi, ou “energia vital”, e a deficiência de Qi levará a um pulso fraco ou vazio (o que ajuda a entender por que a palpação do pulso é tão importante na Medicina Oriental). Após algum tempo, essa deficiência pode produzir uma estagnação do Qi no tórax, deixando o pulso levemente tenso e gerando um quadro de ansiedade leve, que se segue à tristeza inicial. A ansiedade associada aos Pulmões com frequência envolve um sofrimento existencial, como questões espirituais ou sobre o significado da vida.

 

Rins

A emoção básica dos Rins é o medo, que, junto com a preocupação (correspondente ao Baço-Pâncreas), é o mais próximo do conceito ocidental de ansiedade. A pessoa com ansiedade associada aos Rins tem aspecto esquálido, assustado e traz uma expressão de pânico. Tende ao pessimismo, temendo o pior em qualquer situação. Sua ansiedade é voltada para questões cotidianas e, por vezes, está relacionada a um sentimento de culpa. O medo crônico e a ansiedade associada aos Rins fazem com que o Qi suba para a cabeça, produzindo tontura e sensação de calor na face.

 

Baço-Pâncreas

Aqui o elemento central são as preocupações. A pessoa tem a sensação de que os pensamentos ficam girando em círculos e se sucedem um após o outro. Por causa da correspondência com o elemento Terra, a ansiedade associada ao Baço-Pâncreas pode se relacionar com o nutrir e o prover; falamos então de pessoas superprotetoras (especialmente mães e pais), ou que sofrem por achar que falta algo àqueles de quem cuidam, ou que colocam as necessidades dos outros sempre antes das suas.

 

Fígado

O Fígado abriga a Alma Etérea, responsável por nossas ideias, planos, projetos, sonhos e visão de vida. Assim, a ansiedade associada ao Fígado envolve uma insatisfação com as próprias conquistas. O indivíduo parece sempre tenso e tende a ser perfeccionista. Sua ansiedade deriva das elevadas exigências que faz a si mesmo e da sensação constante de estar aquém delas.

______________________________

Entender as características da ansiedade de acordo com os Cinco Elementos nos ajuda a planejar melhor o tratamento através da Acupuntura. Esse entendimento também pode permitir que o paciente se conheça melhor e coloque em prática medidas para restabelecer seu equilíbrio e sua saúde mental.

Autor

Dr Rafael de Castro Resende

Dr Rafael de Castro Resende

Acupunturista, Psiquiatra

Especialização em Residncia Mdica em Psiquiatria no(a) Hospital Ulysses Pernambucano - Secretaria Estadual de Sade de Pernambuco).